Entregas GRÁTIS a partir de 39€ em 72h

6 Pragas em Plantas de Interior – Como Eliminar e Prevenir

pragas em plantas de interior - joaninha e pulgões

6 Pragas em Plantas de Interior – Como Eliminar e Prevenir

 

Manter as plantas sempre saudáveis exige alguma dedicação e aprendizagem, como tal, uma das tarefas mais importantes quando cuidares da tua selva urbana é saber como prevenir as pragas em plantas de interior. A maioria das pragas e doenças surge como resultado de condições de desenvolvimento inadequadas à espécie, por isso corrige em primeiro lugar a tua forma de atuação.

Má administração da rega, falta de luz, de arejamento ou de humidade são algumas das causas mais comuns para o surgimento de pragas em plantas de interior.

Pode não ser tarefa fácil proteger as plantas de infestações, mas se as detetarmos o mais cedo possível e agirmos rapidamente, podem ser facilmente combatidas. A exterminação será muito mais simples e eficaz se o problema for identificado desde cedo.

Cochonilhas

Praga em plantas de interior Cochonilha-branca
Cochonilha-branca (Pseudaulacaspis pentagona)

As cochonilhas são insetos ovais compostos por filamentos cor-de-rosa e cobertos com uma secreção branca à volta do corpo. São difíceis de detetar, escondendo-se em ninhos brancos que fazem lembrar algodão. As cochonilhas atacam quase todo o tipo de plantas, sugando a seiva, o que provoca o amarelecimento das folhas e posterior emurchecimento. Para além disso, segregam ainda uma substância que atrai formigas.

Para solucionar o problema, retira todos os insetos com um pano molhado e pulveriza com um inseticida para plantas de interior. Se preferires um método natural, limpa as folhas com um pedaço de algodão molhado em álcool ou vinagre.

O óleo de neem é uma excelente alternativa, 100% natural e eficaz contra as cochonilhas e vários tipos de pragas em plantas de interior. Este óleo é um inseticida não tóxico, capaz de matar os insetos por asfixia ao bloquear o seu sistema respiratório. O óleo de neem tem ainda propriedades fungicidas e, como bónus, deixa as folhas brilhantes e saudáveis.

Infestação de cochonilhas em Strelitzia nicolai

Se dentro da tua casa tens plantas com folhas rijas como estrelícias, ficus, ou yuccas, entre outras, então deves ter mais cuidado, visto que estes géneros de plantas são mais vulneráveis ao ataque de cochonilhas.

Tripes (Thrips)

Tripes adultos (pretos), ninfas e ovos

Os tripes são uma praga comum em plantas de todo o tipo, tanto de exterior como de interior. Em todo o mundo, existem cerca de 6000 espécies destes insectos sugadores das plantas, em cores que variam de preto, ao amarelo.

De tamanho diminuto, os tripes podem não ser facilmente detetáveis a olho nú, mas é possível observá-los a mover-se relativamente rápido em grupos perto das nervuras das folhas, quando perturbados.

Muitas vezes é mais fácil identificar a sua presença pelos sinais de danos nas folhas que se podem apresentar enrugadas e deformadas, amarelecidas ou com manchas descoloradas. Em ataques mais fortes ou avançados, as folhas adquirem um aspeto prateado característico.

Entre as mais comuns pragas em plantas de interior, os tripes são possivelmente uma das mais desafiantes de lidar. De forma a prevenir infestações mais avançadas, devemos prestar especial atenção à página inferior das folhas, pois é aí que a maior parte das pragas se escondem e se alimentam.

Sintomas de danos nas folhas de Monstera, causados por tripes
Tripes alimentando-se junto à nervura de folha

Para tratar uma planta com tripes, o primeiro passo é lavá-la, no chuveiro ou com uma mangueira, para desalojar o maior número possível de insetos. De seguida, aplica uma solução inseticida à base de óleo de neem. Aplica esta solução com um borrifador e deixa atuar durante 5 a 10 minutos, limpando de seguida as folhas com um pano húmido.

No caso de infestações mais fortes em que a aplicação do óleo de neem não seja suficiente, borrifa com uma solução de sabão de azeite, molhando bem todas as partes da planta e repete a cada 10 dias até não haver sinais de mais tripes nas folhas.

Seja qual for o método de combate escolhido contra os tripes, afasta a(s) planta(s) afetadas das restantes enquanto recuperam. Remove as folhas muito infestadas e que estejam em mau estado. Inspeções rotineiras e aparar atempadamente as partes afetadas da planta, é muitas vezes o suficiente para manter as infestações sob controlo.

Mosquitos dos fungos (Gnats)

Os Fungus gnats, ou mosquitos dos fungos, são pequenas moscas pretas com cerca de 2 a 5 mm que aparecem no substrato dos vasos das nossas plantas. Estes insetos depositam ovos, que consequentemente originam larvas. As larvas alimentam-se da matéria orgânica presente no substrato e de raízes em decomposição.

Apesar destes insetos não constituírem uma ameaça séria à saúde da maior parte das plantas, ter uma nuvem de mosquitos a rondar a tua planta interior não é algo muito agradável, e como tal existem diversas dicas para os eliminar:

Esteriliza a terra antes de a usares, utiliza adubos orgânicos, aplica óleo de neem, ou coloca um pouco de canela sobre os vasos. Promove a ventilação e a luminosidade para as plantas, pois além de reduzir os fungos existentes no substrato, atrapalha também o voo dos mosquitos.

Podes optar por eliminar também o máximo de mosquito que conseguires. Quanto mais conseguires matar, menos ovos serão produzidos e colocados nos vasos, logo menos larvas nascem e menos atacadas serão as tuas plantas. Caso percebas que são bastantes, existem algumas armadilhas que podes usar para apanhá-los.

Uma das partes mais difíceis, mas não impossível, é matar as larvas que se encontram debaixo da terra. Rega com água oxigenada diluída na água da rega e esta vai contribuir grandemente para que a quantidade de fungos na terra diminua.

Pulgão

Os pulgões, conhecidos por afídeos, são das mais comuns pragas em plantas de interior. São pequenos insetos redondos, pretos, verdes ou castanhos, conforme a espécie. Felizmente, praticamente todas elas são fáceis de detetar nas folhas e rebentos.

Os pulgões atacam quase todo o tipo de plantas e alimentam-se sugando a seiva. As folhas ficam assim cheias de picadas, enroladas e com uma substância pegajosa. Quando o ataque é forte, estes insetos impossibilitam a formação de novos rebentos e folhas.

Ataque de pulgões em rebento de Zamioculcas zamiifolia

Como prevenção, mantém as plantas limpas e, no caso de haver um historial de infestações frequentes, pulveriza regularmente um inseticida no início da Primavera e Verão. Evita usar adubos muito azotados, pois estes promovem o desenvolvimento de novos rebentos, tornando-os ainda mais apetitosos para os pulgões.

Se verificares a presença de pulgões em folhas ou rebentos, lava a planta debaixo do chuveiro, ou com uma mangueira (sem demasiada pressão de água para não danificar a planta). Esta lavagem removerá a grande maioria dos insetos. Após esta limpeza, utiliza métodos naturais, pulverizando as plantas afetadas com óleo de neem, uma infusão de urtigas ou até mesmo com água e cebola, para matar os pulgões que tenham permanecido e prevenir reinfestações.

Aranha-vermelha (Ácaros)

Estavas a passear pela tua casa e viste uma pequena aranha-vermelha? Se tens plantas de interior, esta praga é mais comum do que pensas! O interior das casas é um habitat ideal para estes minúsculos aracnídeos.

São sugadores de seiva e põem ovos em grandes quantidades, que se assemelham a camadas de pó. A infestação fragiliza a planta e retorce as folhas, cobrindo-as com pequenas crostas.

Ao contrário de outras pragas e dado o seu tamanho diminuto, os ácaros podem ser difíceis de identificar por observação direta. Assim, fica atento a sinais como pequenas teias brancas, folhas deformadas, com manchas, murchas ou descoloradas. As folhas podem acabar por cair quando o ataque das aranhas-vermelhas é forte.

Aranhas-vermelhas e teias características (Fonte)
Sintomas de infestação de ácaros na página inferior de uma folha

Para prevenir, ou curar, opta por métodos naturais. Aplicar um preparado de detergente da loiça com álcool e vinagre é uma boa opção. Borrifa bem as folhas e coloca a planta num local à sombra e fresco. Podes ainda pulverizar com uma mistura de álcool e água para remover e matar as aranhas-vermelhas visíveis. Não te esqueças de aplicar sempre em ambos os lados da folha, inferior e superior, qualquer que seja o método escolhido.

Se as folhas estiverem muito infestadas devem mesmo ser removidas. Em casos mais difíceis, pode ser necessário pulverizar a planta com um pesticida adequado, até desaparecerem os sinais de infestação.

Mosca branca

Pelo nome parecem inofensivas, mas na verdade é uma das pragas em plantas de interior mais difíceis de eliminar. Durante o seu ciclo de vida, a mosca branca produz um enorme número de larvas, depositando os seus ovos na parte inferior das folhas. Este inseto é um sugador da seiva da planta, portanto, é natural que ela perca a energia e murche.

É fácil de detetar a mosca branca, pois ela deixa uma substância pegajosa, assemelhada a um bolor negro. A humidade pode ser a principal causa do seu desenvolvimento.

Assim que te aperceberes que as tuas plantas de casa estão contaminadas, inicia imediatamente o seu tratamento. Se a infestação ainda estiver numa fase inicial, retira todas as moscas brancas de forma manual. No entanto, se já estiver numa fase mais avançada, opta por um produto natural, como sabão de azeite. Além de não ser prejudicial para o ar que respiras em casa, se conciliares com o óleo de neem, o tratamento é bastante eficaz.

Métodos naturais para tratar e prevenir as pragas em plantas de interior

Tendo em conta que as tuas plantas estão dentro de casa, deves ter o cuidado de ventilar bem as divisões, para que o ar circule para elas e para ti. Tem em mente que as tuas plantas devem estar localizadas em pontos da casa com luminosidade adequada e serem plantadas em substratos próprios para plantas de interior, que permitem o arejamento das raízes e a drenagem da água. Elimina as folhas secas e doentes e, se puderes, escolhe também plantas que ajudam a afastar as pragas, como é o caso das aromáticas, como o alecrim, alfazema, ou manjericão.

Antes de adquirir novas plantas para o interior da tua casa, lê o nosso artigo sobre o que precisas mesmo de saber antes de comprares uma.

Uma planta aparentemente saudável pode esconder alguns problemas, por isso observa com regularidade as plantas em tua casa, para assegurar que não existem sinais de pragas. Se identificaste uma infestação numa das tuas plantas, numa fase inicial, fica a saber que é possível eliminar as pragas visíveis. Para isso, faz uma boa limpeza nos vasos, retirando-as das plantas, exterminando os animais mais pequenos e arrancando as partes afetadas.

Pulgões (afídeos) em folha de Pilea peperomioides

Poderás comprar insecticidas eficazes e de actuação rápida, no entanto, existem também métodos naturais, ecológicos, fáceis de produzir e com bons resultados no combate a pragas em plantas de interior. Aqui ficam algumas dicas:

  • Contra o pulgão e as cochonilhas, podes optar por criar um líquido com água e algumas gotas de detergente da loiça. Depois de misturados, pulveriza a planta e lava depois as folhas para eliminar os insetos por completo. Para o pulgão poderás ainda optar por uma mistura de água com alho e cebola, que é um excelente repelente natural.
Procura por sinais de infestações na página inferior das folhas
  • Para afastar os mosquitos dos fungos das plantas de interior, podes comprar repelentes no mercado, usar canela em pó, difusão de óleos essenciais, defumações de ervas como o coentro e óleo de neem.
  • Se quiseres afastar os insetos no geral, colocar plantas aromáticas como coentro, menta, alecrim e lavanda perto das tuas outras plantas é uma boa opção.
  • Para acabar com a mosca branca, podes utilizar a casca de frutas cítricas. Cria uma infusão das mesmas, adiciona detergente da loiça e pulveriza as plantas duas vezes por semana.
  • Introduz insectos auxiliares como joaninhas nas tuas plantas. As joaninhas têm um apetite devorador por várias pragas que afectam as plantas, como pulgões, cochonilhas, ácaros e muitas outras. Uma única joaninha é capaz de ingerir até 50 pulgões num só dia! Se não conseguires trazer nenhuma da rua para o interior de tua casa, podes encontrá-las à venda em algumas lojas especializadas, na forma adulta e em ovos.
  • Ao fazer a prevenção de pragas em plantas de interior, não trates todas as plantas ao mesmo, seja com produtos naturais ou de síntese. A aplicação indiscriminada matará tanto os insectos nocivos como os benéficos (predarores de pragas), dificultando o controlo de infestações futuras.

Precauções

Acima de tudo, percebe qual é a praga que atinge as plantas no interior da tua casa, para que possas escolher o tratamento e produtos adequados. Não vais querer utilizar um produto que em vez de eliminar a praga, ajuda na sua propagação.

Quando estiveres a usar pesticidas indicados para pragas em plantas de interior, lê atentamente, as indicações da embalagem antes de aplicares o produto. Usa sempre luvas de borracha e não feches as janelas da tua casa, deixa que o ar flua. 

Conclusão

Tratar de pragas em plantas de interior não tem que ser um “bicho de sete cabeças”.

Um pouco à imagem do que acontece connosco, plantas saudáveis são mais resistentes a doenças e a pragas. Por isso, corrige e previne situações como regas em excesso, ou deficientes, e condições de luz desadequadas à espécie, para evitar condições de stress que enfraquecem as defesas naturais das plantas.

Qualquer que seja o problema que ocorra nas plantas, a resolução é mais fácil se actuarmos aos primeiros sinais. E isto é especialmente verdade no que diz respeito às pragas em plantas de interior.

Se tiveres alguma dúvida, nós estamos aqui para te ajudar, entra em contacto connosco!

Partilha este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.