Entregas GRÁTIS a partir de 39€, em Portugal Continental Ver alterações COVID-19

Como Propagar Plantas de Interior – Rápido e Simples

propagação de plantas de interior

Como Propagar Plantas de Interior – Rápido e Simples

A propagação das plantas é uma das formas mais simples de aumentar a nossa coleção de plantas sem gastar dinheiro. A verdade é que muitas das vezes falta-nos tempo e paciência para estar a propagar certas plantas, mas talvez por não percebemos o quão simples, rápido e eficaz é multiplicá-las.

Podemos propagar de diversas maneiras, mas as mais comuns, nas plantas que todos temos em casa, é a propagação por separação ou corte/muda, normalmente a mais utilizada.

A propagação por separação requer tempo, determinados materiais e mais que tudo, requer vontade de colocar as mãos na terra. Muitas vezes esta solução não é a mais indicada nem a mais fácil para se iniciar.

Quanto à propagação por corte é a mais simples e rápida, mas também é a que implica que tenhamos alguns cuidados porque iremos, literalmente, cortar a planta da “planta mãe” com poucas ou nenhumas raízes desenvolvidas. Nesta, podemos propagar por dois métodos – por substrato ou por água.

Mas antes de explicarmos cada uma deles, há um fator a ter em conta: saber onde cortar. Este é o primeiro e mais importante passo para propagar bem uma planta. O corte tem que ser feito entre nódulos porque é aí que as raízes e as folhas se desenvolvem. Antes de cortar, desinfete bem a tesoura para evitar o aparecimento ou propagação de bactérias.  

Propagação de Plantas por Corte

Para quem procura propagar as plantas de uma forma rápida e simples, esta é a propagação que aconselhamos. Tanto pode ser feita por substrato como por água.  

O método de propagação por substrato é o mais rápido e eficaz para vocês e para as vossas plantas. Nele, as plantas sentem-se no seu habitat natural fazendo com que a produção de raízes seja mais rápida e não haja um tempo de adaptação pelo meio, já que a planta é propagada em substrato e continuará em substrato.

Mas atenção, embora este seja o método mais rápido e simples requer determinados cuidados.

O primeiro é verificar se o substrato tem uma boa drenagem e um ótimo arejamento, é essencial para que as raízes recebam o oxigénio que precisam e não apodreçam. Depois de cortar e colocar as propagações no vaso já com o substrato é preciso regar bem e manter a terra sempre húmida e o nível de humidade do ar elevado até haver formação de novas folhas. Nessa altura, as raízes estão formadas e indica que está a haver uma boa produção de energia. 

Uma das maneiras que encontramos para que as raízes se desenvolvam mais depressa é colocar o vaso com as propagações dentro de um saco de plástico transparente, garantindo assim que a terra se encontra sempre húmida e com um nível de humidade do ar elevado. Tal como uma estufa, esta técnica fará com que a água ao evaporar aumente o nível de humidade no ar e posteriormente irá acumular-se na superfície do saco, escorrendo para o fundo. Assim, temos o efeito de estufa onde criamos o nosso micro ecossistema.

Regra geral começa a haver alguma produção de raízes em menos de uma semana. Em três semanas há já folhas a serem formadas e em menos de um mês, retiramos o vaso do saco já com várias folhas. Se quisermos as plantas noutro vaso, é transplantar como geralmente o fazemos.

Durante o processo, tenha atenção ao local da sua casa onde coloca a propagação. Estas precisam de estar num lugar que apanhe muita luz natural indireta, nunca sol direto. Este pormenor é importantíssimo!

Propagação de Plantas por Água

O outro método que propagamos as nossas plantas é por água, o mais simples a nosso ver. Depois de cortar devidamente os ramos da sua planta, basta colocar as propagações num recipiente com água e mudar a água semanalmente.

propagação de monstera variegata em água

Para além de ser mais simples, este método permite exibir as propagações por toda a casa em jarros bonitos, dando um toque estético muito agradável. Além disso, faz com que não tenha que comprar ramos de flores todas as semanas. É uma ótima alternativa, um dois em um como se costuma dizer.

Mais simples e rápido é impossível, mas ainda assim nem tudo são boas notícias. Uma das desvantagens deste método é que as raízes poderão levar, no mínimo, três semanas até começar o seu desenvolvimento.

Após as raízes estarem bem desenvolvidas e com cerca de cinco centímetros de comprimento, podemos finalmente colocá-las num vaso com substrato, mas sempre húmido nas duas primeiras semanas. E porquê? Como as raízes se desenvolveram num meio completamente diferente daquele onde as estamos agora a colocar (da água para o substrato) temos que garantir que o choque da passagem de um meio para o outro seja o menor possível, daí ser fulcral deixarmos o substrato sempre húmido.  Depois desse tempo, é acompanhar o crescimento da planta e perceber com que periodicidade devemos regá-la.

Para estes dois métodos, aconselhamos o uso de um fertilizante líquido de NPK 1-1-2, ou semelhante, com uma dosagem de ¼ ou menos do recomendado na embalagem. Isto irá ajudar a planta no desenvolvimento de novas raízes. Para saber mais sobre fertilizantes consulte o nosso artigo Como Nunca Mais Matar Uma Planta de Interior.

Estão apresentadas as duas formas principais de propagar as nossas plantas de interior. Explicamos mais a fundo a propagação de corte pois a nosso ver é a mais simples, rápida e eficaz das duas. Mas, atenção, é necessário ter sempre em conta que nem todas as plantas de interior podem ser propagadas desta maneira. É preciso adaptar o tipo de propagação ao tipo de planta que temos. As monsteras, as philodendron e os antúrios são alguns exemplos de plantas que podemos propagar por estes métodos.

Plantodependente

Celso Teixeira e Diogo Gomes

View this post on Instagram

Formas de propagar uma Epipremnum. Como já referimos vários vezes, costumamos propagar as nossas plantas e aconselhamos vivamente, por diversos motivos. Há inúmeros métodos de propagação, mas cá em casa usamos a propagação por substrato e por água. É mais simples e conveniente. A propagação por substrato é, na nossa experiência, a que tem resultados mais rápidos. Em menos de 1 semana, costumamos ter logo raízes novas. Para esta propagação, cortamos entre nódulos e colocamos a muda na terra, num vaso, de modo a que o sentido do crescimento da folha fique virado para cima e o nódulo e raízes existentes fiquem enterrados. Depois, colocamos o vaso dentro de um saco de plástico e certificamo-nos que a terra está bem húmida e o saco, posteriormente, bem fechado. Assim criamos um efeito de estufa em que o nível de humidade será sempre alto e a temperatura constante. Uma vez por semana introduzimos água com um borrifador. Tentamos não perturbar as raízes e só retiramos a propagação quando já vemos a formação de novas folhas. Quanto à propagação por água é para nós a mais simples, é só cortar a muda da mesma forma e depois colocar num recipiente com água. Para além de dar um toque decorativo na casa, já que podemos colocar as mudas em recipientes mais bonitos e espalhá-los pelas divisões, esta forma também ajuda a criar humidade. Depois de colocadas em água, é só limpar uma vez por semana os recipientes e esperar que as mudas comecem a criar raízes. Em ambos os métodos ,nunca podemos esquecer da fertilização. Normalmente, usamos um fertilizante liquido com o N-P-K de 3-5-7, dando prioridade à formação de raízes com um ligeiro suplemento para a formação das folhas. E vocês, de que modo propagam as vossas plantas? . . . #urbanjunglebloggers #houseplantclub #plantmakepeoplehappy #selvaurbana  #plantmoms #plantdaddy #plantinhas #plantinhasemcasa #plantasdecasa #plantsofinstagram #plantlove#urbanjungleblog #plantasdeinterior #anossacasa #igersportugal #igersporto #homeiswheremyplantsare #plantblog #plantblogger  #planterina #planterinapicks #ikea #vogue #calatheawarscewiczii #calathea #epipremnum #propagation

A post shared by 🌵 𝗣𝗟𝗔𝗡𝗧𝗢𝗗𝗘𝗣𝗘𝗡𝗗𝗘𝗡𝗧𝗘 🌵 (@plantodependente) on

Partilha este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


×