Entregas GRÁTIS a partir de 39€ em Portugal Continental

Calathea: Como Cuidar da Planta do Momento

Calatheas como cuidar

Calathea: Como Cuidar da Planta do Momento

Não há dúvida que as Calathea conquistaram já o coração dos amantes de plantas um pouco por todo o mundo. Existem imensas variedades, cada uma com padrões únicos e coloridos nas suas folhas. O aspecto exuberante e o facto de se darem muito bem em apartamentos, tem feito destas plantas verdadeiras estrelas do Instagram. Estão também entre as plantas de interior seguras para animais.

Quem são as Calatheas?

Calathea é um género botânico de plantas herbáceas rizomatozas (Rizoma: tipo de caule em formato de raiz que cresce horizontalmente, geralmente subterrâneo). Fazem parte das Marantaceae, uma família de plantas floridas de zonas tropicais do mundo, como África. São famosas por movimentarem as suas folhas de acordo com o ritmo circadiano – as folhas fecham-se sobre si mesmas durante a noite e abrem durante o dia. Esta capacidade valeu-lhes a alcunha de “plantas rezadeiras”.

As folhas de grande dimensão fazem das Calathea plantas especialmente adequadas a locais com baixa luminosidade. As plantas de interior de pouca luz desenvolveram folhas grandes para conseguirem absorver e utilizar a maior quantidade de luz possível. No habitat natural, podemos encontrar este tipo de plantas no sombrio estrato inferior das florestas tropicais, junto à base das árvores.

Quais as espécies de Calathea?

Existe hoje em dia uma grande variedade de espécies de Calathea disponíveis como plantas de interior. A Calathea veitchiana ‘Medallion’, Calathea orbifolia, Calathea warscewiczii ‘Jungle Velvet’, ou a Calathea triostar são algumas das mais populares.

calathea jungle velvet com vaso urban jungle comprar
Calathea Jungle Velvet

Como cuidar de uma Calathea?

Estas plantas podem ser um pouco temperamentais no que diz respeito à manutenção, mas seguindo alguns cuidados básicos, será fácil ter plantas bonitas e saudáveis em casa. Se tentarmos reproduzir um pouco do habitat natural das Calathea em nossas casas, tudo ficará mais simples.

Luz indirecta – As Calatheas necessitam de bastante luz difusa para crescerem, mas não de sol directo. No seu habitat natural, estas plantas crescem junto ao solo das florestas tropicais, locais onde recebem uma quantidade limitada de luz através das densas copas das árvores. O sol directo poderá mesmo queimar as folhas das Calathea e levar à perda das suas cores vibrantes.

Rega – Preferencialmente, deve utilizar água destilada ou de alguma forma filtrada para a rega das Calatheas. Elas gostam de ter o sustracto húmido, mas não encharcado. Demasiada água poderá afogar a sua Calathea! É igualmente importante não deixar a água acumular no fundo do prato ou do vaso decorativo. Caso contrário, o excesso de humidade acabará por apodrecer as raízes.

Temperatura – Como boas plantas tropicais que são, as Calathea são um pouco “friorentas”. Devemos tentar manter a temperatura ambiente entre os 18-30ºC. Caso a temperatura seja demasiado alta, ou demasiado baixa, a planta demonstra o seu desagrado com caules pendentes e enrolando as folhas.

Humidade – A selva é conhecida pela humidade elevada constante, portanto é nestas condições que as Calatheas se sentirão melhor. As grandes folhas verdes têm a capacidade de absorver alguma humidade do ar. Em nossas casas, uma humidade relativa entre 50-70% será adequada.

Fertilização – Usualmente as Calathea não necessitam de muito fertilizante, mas de forma a mantê-las vigorosas e saudáveis devemos fertilizá-las durante a primavera, verão e parte do outono. Estes são os meses de crescimento mais intenso e quando a fertilização é mais necessária. Pode utilizar, 1 ou 2 vezes por mês, um fertilizante liquido para plantas de interior, com metade da dose recomendada na embalagem.

Substrato – O substrato é uma mistura de materiais que compõem o que normalmente chamamos de solo. No caso das Calatheas, o substrato deve ser rico em matéria orgânica, ter a capacidade de reter água suficiente e de ser capaz de drenar o excesso. Uma mistura adequada poderá conter 50% de terra vegetal, 25% de substrato para orquídeas e 25% de perlite.

Reenvasamento – Quando já forem visíveis raízes a surgir pelos orifícios do fundo do vaso, ou a aparecer na superfície do substrato, pode ser altura de reenvasar a Calathea. O vaso para onde vamos transplantar a planta deve ser apenas um ou dois tamanhos acima do vaso original. A melhor altura para realizar esta operação é na primavera e verão.

Como lidar com problemas nas Calatheas?

A maior parte dos problemas relacionados com os cuidados das Calatheas, devem-se a falta ou excesso de água, e a condições desadequadas de temperatura ou humidade. Devemos observar as plantas e os sinais que elas nos transmitem, pois é a forma que elas têm de nos comunicar que precisam de atenção quando algo não está bem.

SINTOMA: Folhas murchas, enroladas, substrato seco

CAUSA: Falta de água

SINTOMA: Folhas com margens castanhas e amarelas, pecíolos escuros e moles

CAUSA: Excesso de água

SINTOMA: Manchas nas folhas

CAUSA: Infecção de fungos, ou acumulação de minerais da água da torneira. Utilize água destilada ou da chuva para regar. 

SINTOMA: Folhas queimadas e/ou descoloradas

CAUSA: Demasiado sol directo

SINTOMA: Caules e folhas deitadas

CAUSA: Excesso de frio ou de calor

Com a quantidade e a frequência correctas de rega, níveis de temperatura e humidade adequados, é possível manter estas magníficas plantas no seu melhor em qualquer espaço interior. Divisões e locais com humidade relativamente elevada, com luz indirecta e temperaturas amenas, farão as Calathea sentir-se em casa. Uma casa de banho, ou cozinha podem assim ser locais ideais para elas.

Partilha este artigo

Comments (4)

  • C.Duarte Reply

    Boa tarde.
    Venho pedir a vossa ajuda, para tratar a minha Calathea White Fusion.
    Erradamente no início, coloquei-a na janela da cozinha, pois apanharia o sol da manhã. Verifiquei que não seria de todo o lugar ideal para ela ficar.
    Retirei-a da cozina e coloquei-a na sala, onde recebe luz indireta, principalmente de manhã.
    As regas, faço-as pelo menos uma vez por semana e pouca quantidade.
    Neste momento, depois de a ter trocado vejo que tem as folhas um pouco secas. Nas zonas onde deveria ter coloração branca, está amarelada e pontualmente numa ou outra folha, tem margens amareladas (num tom mais forte), já com uma área significativa.
    A minha intenção, muito embora não seja a altura adequada é trocála de vaso, para um, um pouco maior, adubar ligeiramente e eliminar as folha que estejam com um ar menos saudável.
    A intenção desta mensagem é saber se as atividades que proponho, serão ou não as suficientes para voltar a ter a minha Calathea, nas condições em que a recebi.
    Muito obrigada pela ajuda que possam dar.
    Cumprimentos
    Cristina

    21/12/2021 at 15:13
    • Alexandre Reply

      Olá Cristina, se a Calathea White Fusion sofreu por exposição ao sol directo e uma vez que isso já está corrigido, o melhor é deixá-la agora “em paz” durante o inverno e dar-lhe tempo para recuperar. Ou seja, nada de trocas de vaso nem de fertilizar neste período de repouso vegetativo. A partir da primavera, se tudo correr bem, ela deverá começar a despontar novos rebentos já saudáveis e nessa altura pode retomar a fertilização e trocar de vaso (mas apenas se necessário!)

      13/01/2022 at 20:39
  • Carina Almeida Reply

    Boa noite,
    Venho pedir a vossa ajuda, também com a minha Calathea White Fusion.
    Ela está na marquise e tem bastante claridade, só que as folhas dela na parte traseira perderam o roxo e estão “brancas” e as folhinhas que tem novas estão pequeninas e não crescem.
    Alguma ideia do que será?
    Obrigada pela ajuda.

    07/02/2022 at 22:47
  • Rafaela Reply

    Olá! A minha Calathea zebrina está com as pontas das folhas sequinhas, apenas as pontas, de resto ela está com bom aspeto. Dizem que é muita água também?

    20/03/2022 at 15:59

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.